segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Espanha, Eslovênia, Hungria e Croácia Avançam as Quartas de Final do Mundial de Handebol ( 21/01 )


Espanha 31 x 20 Sérvia

Os espanhóis surpreenderam conseguindo vencer os sérvios com tamanha facilidade, era esperado um jogo equilibrado, definido nos detalhes e que tivesse placar apertado,mas nada disso aconteceu.

Desde o comecinho do primeiro tempo a Espanha mostrou que tinha entrado pra vencer e logo aos 12 minutos vencia por 7 x 3 , depois disso muitos esperavam por uma reação imediata da Sérvia, porém o tempo foi passando e passando e essa reação não veio, pelo contrário, a Espanha abria mais e mais vantagem, terminando o primeiro tempo 20 x 12, numa superioridade grande.

Mesmo perdendo por 8 gols e jogando na casa do adversário, era esperado que pelo menos na volta pro segundo tempo os sérvios viessem com mais ânimo, com novo esquema ou algo que mudasse esse parâmetro da partida, que nada, continuou a mesma coisa,a Espanha continuou com uma defesa forte que forçava o erro adversário e no ataque com boas armações efetuava seus gols,desse jeito não teve como a Sérvia reagir, final de jogo 31 x 20 para a Espanha e classificação para as quartas de final garantida.

Daniel Sarmiento foi um dos destaques do jogo fazendo 5 gols em 5 tiros, outro que teve 100% de efetividade no ataque foi Albert Rocas, sendo melhor que o próprio Sarmiento com 7 gols em 7 chances.

Artilheiros
Espanha
Albert Rocas - 7 gols
Daniel Sarmiento – 5 gols

Sérvia
Petar Nenadid – 4 gols
Momir Ilic – 3 gols
Zarko Sesum – 3 gols


Eslovênia 31 x 26 Egito

Os egípcios entraram em quadra no status de serem a última equipe não européia com chances vivas de passar para as quartas de final, e enfrentando uma Eslovênia embalada por estar invicta e 100% no torneio até tentaram equilibrar a partida, mas no final a força européia prevaleceu.

Até a metade do primeiro tempo ninguém abriu 2 gols na partida, estando 6 x 5 para a Eslovênia aos 14 minutos de jogo, mas aí os eslovenos contando com boas defesas de seu goleiro Gorazd Skof e indo bem no ataque, 5 depois já vencia por 10 x 6,  vantagem essa que só foi sendo ampliada até o intervalo, 19 x 11 e fim de primeiro tempo.

Na volta pra etapa final, o Egito tentava chegar no placar, fez 3 gol seguidos diminuindo um pouco, porém a Eslovênia devolvia na mesma moeda a diferença continuava em 8, 9 gols. Até que aos 9 minutos quando os egípcios perdiam por 25 x 16, começaram uma grande reação e 6 minutos depois essa vantagem de 9 gols caiu muito, 25 x 22 e o Egito vivo no jogo. Por alguns minutos esse placar permaneceu em 3 gols de diferença então aos 20, o Egito botou em 2 gols apenas a vantagem eslovena,acreditando mais ainda que poderia vencer o confronto. Porém com Jule Donelec sendo decisivo a Eslovênia a fez 4 gols em sequência , 3 de Donelec e assim jogou um balde de água fria no Egito,30 x 25, que depois disso não teve mais condições de igualar o placar,no final Eslovênia 31 x 26 Egito.

Um grande responsável pelo bom jogo do Egito apesar da derrota é Ahmed Mostafa, ele é o artilheiro da equipe nesse mundial e foi também o artilheiro do jogo com 10 gols mesmo sendo muito marcado ( 62% de efetividade ). Um fator que ajudou muito para que a Eslovênia vencesse foi o seu ataque, com ótimo percentual de efetividade de 72%, o Egito no mesmo quesito teve 56%.

Artilheiros
Eslovênia
Jule Donelec – 6 gols
Miha Zvizej – 4 gols
Jure Dobelsek – 4 gols


Egito
Ahmed Mostafa – 10 gols
Mohamed Mamdouh – 5 gols


Hungria 27 x 19 Polônia

Esse era um dos jogos que se esperava mais equilíbrio nos confrontos de oitavas de final, uma Hungria quarta colocada nos Jogos Olímpicos de Londres e a Polônia que vinha fazendo uma grande campanha no mundial, mas não foi bem isso que aconteceu.

No primeiro tempo sim , houve grande equilíbrio com a Polônia conseguindo liderar o jogo aos 15 minutos com 6 x 4, depois disso a Hungria empatou e virou, liderando até o final do primeiro tempo ora com 1 ou 2 gols de vantagem, 10 x 9 e intervalo.

Na volta pro segundo tempo, os húngaros jogaram bem melhor, e com muitos erros de ambas equipes, a Hungria soube aproveitar melhor, abrindo 17 x 12 aos 15 minutos, e foi levando e ampliando essa diferença até o fim da partida, sem nenhuma reação da Polônia, no final 27 x 19 e a Hungria nas quartas de final.
                                      Os húngaros comemoram sua classificação para as quartas
O goleiro húngaro Roland Mikler atuou muito bem na partida com 38% de bolas salvas, já os goleiros poloneses Slawomir Szmal e Marcin Wichary juntos tiveram 28%.  O ataque da Hungria teve 60% de efetividade, o polonês 47%.

Artilheiros
Hungria
Gerko Ivancsik – 6 gols
Gabor Csaszar – 5 gols

Polônia
Bartosz Jurecki – 5 gols
Michal Kubisztal – 3 gols
Adam Wisniewski – 3 gols


Croácia  33 x 24 Bielorrússia

A Bielorrússia seleção com pouca experiência internacional ( Disputa na Espanha apenas seu segundo mundial ) não resistiu frente os tradicionais croatas que se impuseram desde o início da partida, e já na metade no primeiro tempo venciam por 10 x 6 ( dos 10 gols croatas 4 foram de Ivan Cupic,os seus únicos na partida ), a partir daí foi gol atrás de gol para a Croácia, enquanto os bielorrussos fizeram apenas 3, no final do primeiro tempo massacre da Croácia por 21 x 9.

Nem era preciso jogar o segundo tempo, com essa vantagem adquirida no primeiro tempo poderia acabar ali mesmo,mas na volta, como já é normal quando uma equipe está vencendo por grande diferença, a Croácia ficou relaxada na partida e só esperava o cronômetro passar para já pensar nas quartas de final, aproveitando essa brecha o técnico da seleção croata aproveitou para usar os reservas e dar um descanso fundamental para os titulares. Nisso os bielorrussos melhoraram, conseguindo fazer mais gols que na primeira etapa e vencendo o segundo tempo por 15 x 12, mas nada que alterasse o vencedor do jogo ou que fizesse encostar no placar, fim de jogo Croácia 33 x 24 Bielorrússia.

O destaque negativo da partida fica por conta da baixíssima porcentagem de defesas dos goleiros bielorrussos Vitali Charapenka e Kazimir Kotlinski que juntos tiveram8% no jogo, claro que a culpa não cai só nas costas dos goleiros , e sim em toda a defesa. Os goleiros Mirko Alikovic e Filip Ivic foram bem melhores tendo 35%.

Artilheiros
Croácia
Luka Stepancic - 6 gols
Ivan Nicenvic – 5 gols

Bielorrússia
Siarhei Rutenka , Siarhei Shylovich , Dzianis Rutenka , Vitali Kazhaneuski – 4 gols


Disputa do 17° ao 20° lugar

Argentina 30 x 26 Qatar

Artilheiros
Argentina
Federico Pizarro , Federico Fernandez , Sebastian Simonet – 5 gols

Qatar
Yousef Almaalem – 7 gols
Hamad Hadadi – 6 gols


Arábia Saudita 24 x 28 Argélia

Artilheiros

Argélia
Omar Chehbour – 7 gols
Omar Benali – 6 gols

Arábia Saudita
Mahdi Alsalem – 7 gols
Hisham Alobaidi – 6 gols



Disputa do 21° ao 24° lugar

Coréia do Sul 36 X 14 Austrália

Artilheiros
Coréia do Sul
Lee Eun-Ho – 7 gols
Jeong Yi-Keong , Park Jung-Geu – 5 gols

Austrália
Daniel Kelly – 4 gols
Mitchel Hedges – 3 gols



Montenegro 35 x 31 Chile

Montenegro
Artilheiros
Zoran Roganovic – 9 gols
Igor Markovic – 7 gols

Chile
Emil Fleutchmann – 8 gols
Erwin Fleutchmann – 7 gols

Nenhum comentário:

Postar um comentário